O que eu tenho a ver com os 50 anos de Sgt. Pepper’s ??

Sgt. Pepper’s

Por Harold Lisboa

50 anos, são 50 anos. E este início de mês se passaram cincoentinha do lançamento do Sgt. Pepper’s E o que eu tenho a ver com isso ??

Bem, com a quantidade de Copa mundiais no costado tenho a ver sim com o acontecimento. Não somente eu, mas como uma multidão que já acompanhou o Círio .

Não lembro bem se foi aos 13 ou aos 15 que eu escutei por completo, antes aquele disco era um bololô de musicas enfileiradas e uma porradas que nunca tinha visto em uma bateria. Foi na casa do – pai Giacomo, um comunista italiano- que com muita calma, mas calma mesmo ,é que compreendi o quanto aquele disco foi importante para mudar a cara da música .

Lembrei dos mutantes, dos ônibus lotações e das estações de rádio , sem elas era impossível para mim escutar Beatles . As fitas cassetes de ontem estavam distante da carteira de minha mãe , tal qual o iPhone é hoje na vida de milhares de jovens.

Em quantos canais foram gravados?? Quantos dias ? Quanto ganharam?  Nada disso me impressionava.

Enquanto rolava Getting Better eu viajava na capa do álbum e em alguns momentos até questionava a ausência de alguns cabeções nela, somente mais tarde é que descobri a briga de Lennon para emplacar três caras e que fora demovido da idéia pela força da grana .

As letras das musicas estavam impressa pela primeira vez? Acho que sim.  como acho, é porque não tenho certeza. Deixo o Google de fora e ponto final.

O conteúdo é importantíssimo. Mas o continente é um verdadeiro mapa para conhecer toda aquela gente e coisas presentes na capa. John, Paul, George e Ringo ao romperem com os Shows e as multidões de gritinhos ,acabaram abrindo picadas imensas na mata Virgem da época. Égua !! me superei agora.


Eu tenho minhas próprias opiniões sobre Sgt.  Peper’s e quem não as tem ? Mas para mim ,ele sempre será o chá que toda a gente tem que tomar. Se é que me entendem…

Mas então , foi bom para Cristo e Mahtama Gandhi ficarem fora desse chá multicolor. Não mereciam ter a companhia do tal Adolph Hitler .

Mas então , lembrei que em 67 eu tinha grandes dificuldades com os cadarços e seguem sendo assim, mas já havia um certo Jimi Hendrix, Doors , quem mais, quem mais ,  Bee Gess ? O Pink , os Stones … nesse ponto o meu hd vai no limite maximo para buscar mil coisas psicodélicas e só me vem à cabeça o pai Giacomo com sua bic , pondo para girar as fitas .

Mas então , lembrei que no dia do salário de minha mãe , era dia sagrado de uma grapette e que se a lua estivesse sob minha cabeça , também teria um prego no pão .

Mas então , na boa   A Day in The Life nos dias de chuva era uma das qual eu repetia sempre e como Belém quase não chove… eu também repetia She’s Leaving Home. Passar chuvas na casa do pai Giacomo era o melhor de tudo naqueles tempos .

Esse álbum cincoentão tem uns e outros sabores para mim, por me fazer viajar sempre e sem usar minhas milhagens. E tu?

Isso tudo é uma raspagem do fundo de meu próprio barril. Sim, o filho da julinha ,tem um imenso barril, cheio de Mono e estéreo …

Depois de tomar um punhado de xícaras por este mundo ,vejo Sgt Pepers com muita paz e amor. Muita esperança e medo . 

Houve uma época que Esses caras  habitava m ao meu redor, eu estava cheio de vida, mas amaldiçoava o subúrbio em que vivia.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s